Tema Material
Segurança e Saúde

Saúde Ocupacional

Acreditamos que o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal pode significar mais qualidade para o dia a dia e, por isso, adotamos uma série de ações para proporcionar aos nossos empregados saúde e bemestar. Essas inciativas estão contidas no Programa Viver Melhor, que se baseia na World Health Organization Quality Of Life (WHOQOL), da Organização Mundial da Saúde (OMS), e na implementação do modelo de gestão compartilhada de Higiene e Saúde Ocupacional.

O programa Viver Melhor fundamenta-se em seis pilares: físico; psicológico; ambiente; relações interpessoais; independência; e crenças/ espiritualidade. Priorizamos as ações dos pilares físico, psicológico, ambiente e relações interpessoais, devido ao diagnóstico realizado na fase de planejamento. Entretanto, os pilares de independência e espiritualidade poderão ser trabalhados de maneira indireta.

Estrutura das ações do Viver Melhor

Em 2017, em todas as unidades foram contempladas iniciativas para a realização de atividades físicas e implementação de ginástica laboral por profissional de educação física contratado. Entre as ações realizadas no ano, destacam-se oficinas de saúde e qualidade de vida (algumas extensivas a familiares de empregados), com orientações nutricionais durante os exames médicos; campanhas de saúde, com cuidados odontológicos, vacinações, prevenções de doenças como câncer, doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e Aids, cuidados com a pele, estresse e relaxamento, doação de sangue, entre outras; treinamentos, entre eles, coach de saúde para lideranças, capacitação para ginásticas e higiene, primeiros socorros; eventos como corridas, olimpíadas e gincanas, Dia do Mineiro, Dia Mundial da Saúde, campeonato de tênis de mesa, seminários de segurança e valorização à vida, festas de final de ano, entre outras.

Desenvolvemos em 2017 o manual Viver Melhor, que define diretrizes para promover ações de incentivo aos empregados, de forma a que encontrem a medida exata para mais qualidade em suas vidas. As ações foram pensadas de acordo com a realidade e as necessidades de cada localidade. Distribuído aos centros corporativos e a todas as unidades do Brasil e do Peru, o programa será avaliado periodicamente por meio de quatro tipos de indicadores: insumos, processo, resultado e impactos (transformação).

A governança do programa é realizada por meio do Comitê de Qualidade de Vida corporativo, que define as diretrizes e ações que devem ser implementadas em todas as unidades. Já os comitês de qualidade de vida locais são responsáveis por elaborar o plano para adotar as ações corporativas e locais, de acordo com as demandas da unidade. Esse comitê é composto por trabalhadores que representem as áreas da unidade e que possam contribuir na elaboração de planejamentos adequados à cada realidade, além de representantes técnicos para apoiar no desenvolvimento das soluções adequadas às demandas.

Cada comitê local elege um representante para compor o comitê corporativo. Além de representantes das unidades, o comitê corporativo é integrado por representantes de Saúde e Segurança, DHO e Comunicação Corporativa.

Para 2018, as ações previstas para os planos das unidades incluem: implementar nutricionista uma vez na semana; treinar replicadores de ginástica laboral e inserir na rotina das áreas; alinhar as orientações de saúde com o serviço de refeitório; e articulação entre as áreas.

Em 2017, também visando melhorias das condições de trabalho dos nossos empregados, foi implementado o modelo de gestão compartilhada em Higiene e Saúde Ocupacional (HSO), que contempla o registro de riscos e saúde ocupacional e a proteção e o controle por meio de equipamentos de proteção, treinamentos, medidas administrativas, projetos de engenharia, entre outros. Esse modelo visa elevar a eficácia da gestão de riscos ocupacionais; compartilhar conhecimento e responsabilidades sobre métodos e práticas preventivas entre técnicos, lideranças e empregados; e manter e melhorar a qualidade técnica, consistência e rastreabilidade de dados, documentos e evidências sobre a gestão de riscos ocupacionais.

O modelo contempla ainda a realização periódica de auditorias como rotina de controle e gerenciamento em HSO, visando à conformidade legal, técnica e o alinhamento com a política de Higiene e Segurança Ocupacional. A metodologias para a realização e documentação das auditorias podem envolver o uso de questionários, listas de verificação, entrevistas, medições e observações diretas, dependendo da natureza da função a ser auditada. Os resultados devem ser documentados em relatório e comunicados à liderança e aos demais diretamente envolvidos.