Tema material
Emissões e energia
GRI 103-2, 103-3 ODS 11.6, 13.2

Cientes de que as variações climáticas intensas podem afetar negativamente as nossas operações, com adiamento de cronogramas, aumento dos custos operacionais, entre outros riscos ao negócio, mantemos nosso comprometimento com o tema e estabelecemos metas para fortalecer uma economia de baixo carbono e para a construção de uma sociedade cada vez mais sustentável.

Temos como objetivo reduzir em 5% as emissões de gases de efeito estufa (GEE) por tonelada de produto até 2025. Nesse sentido, desde 2017 colocamos em operação uma caldeira de biomassa na unidade Três Marias, em substituição às caldeiras alimentadas por óleo derivado de petróleo, o que possibilitou uma economia de US$ 5,2 milhões por ano, proporcionando reduzir em 30% a emissão de gases de efeito estufa e em 35% o custo de produção de vapor. A estrutura utiliza como combustível o cavaco de eucalipto e/ou bagaço de cana produzidos na região. A próxima etapa consiste na operação da unidade com produção de vapor. O modelo que se mostrou eficiente em Três Marias deverá agora ser implantado na unidade de Juiz de Fora. ODS 7.2, 9.4, 12.2

Outra iniciativa importante está ocorrendo na unidade de Cajamarquilla, no Peru, com a substituição de óleo diesel por gás natural, o que será possível pela implantação de um gasoduto na região. O projeto começou a ser instalado em 2018 e entrará em operação em 2019, reduzindo as emissões e o custo de combustível na planta.

Para reduzir as emissões de GEE em operação e logística, firmamos contrato com startups selecionadas no programa Mining Lab para desenvolver soluções para redução de consumo de diesel nos equipamentos e sua substituição por biodiesel (mais detalhes em Inovação e Tecnologia).

Consumo de energia

O consumo de energia térmica em nossas operações no ano foi de 14.970.823 GJ, aumento de 0,1% em comparação a 2017, sendo 11.742.700 de fontes renováveis. Essa proporção reflete especialmente a matriz de energia elétrica do Brasil e do Peru, uma vez que ambas apresentaram em sua base maior participação de fontes hídricas.

No ano, a geração de energia elétrica representou 19% do total consumido. Há cogeração em caldeiras de vapor e geração em usinas e pequenas centrais hidrelétricas gerenciadas pela Votorantim Energia (que atende às subsidiárias da Votorantim S.A., além de clientes externos). GRI 302-1

Consumo de energia dentro e fora da organização GRI 302-1, 302-2

Emissões atmosféricas

No ano, os gases de efeito estufa (GEE) oriundos de nossas operações totalizaram 1.269.674 tCO2e, o que significou um acréscimo de 37% comparado ao ano anterior, decorrente do aumento de produção e transporte de minério. As emissões decorrentes de consumo de energia elétrica adquirida (Escopo 2) corresponderam a 46% do total e as emissões indiretas (Escopo 3) somaram 30.661 tCO2e. A intensidade de emissões aumentou para 1,15 tCO2e por tonelada de zinco produzido. GRI 305-1, 305-2, 305-3, 305-4

Intensidade energética Gj/t
GRI 302-3

Intensidade de emissões de GEE (tCO2e/t) GRI 305-4

Emissões de Gases de Efeito Estufa (tCO2e) GRI 305-1, 305-2, 305-3