Tema material
Segurança e saúde
GRI 103-2, 103-3 ODS 3.4, 3.5, 3.9, 8.8, 16.7

Saúde ocupacional

Além de oferecer condições de trabalho adequadas para nossos empregados e terceiros, acreditamos que uma organização deve proporcionar um ambiente onde as pessoas possam executar suas atividades profissionais com qualidade e com equilíbrio em todos os aspectos de sua vida. Ações de bem-estar e qualidade de vida têm como objetivo principal incentivar hábitos saudáveis, melhorar o clima organizacional, promover a atração e retenção de nossas equipes e influenciar na criatividade, além de garantir a continuidade operacional e produtividade. Desse modo, nossa empresa quer ser reconhecida como referência em qualidade de vida no trabalho.

Pensando nisso, consolidamos o Programa Viver Melhor, estabelecido em 2017 com base na World Health Organization Quality Of Life (WHOQOL), da Organização Mundial da Saúde (OMS). O programa fundamenta-se em seis pilares: Físico, Psicológico, Ambiente, Relações Interpessoais, Independência e Espiritualidade. Em 2018, alcançamos a totalidade das unidades com ações de estímulo à alimentação saudável, à prática de atividades físicas e à melhoria do ambiente de trabalho, obtendo boa aceitação dos empregados. Todas as ações foram pensadas de acordo com a realidade e as necessidades da organização e divididas em dois tipos de iniciativas: institucionais e locais. As ações institucionais são aquelas implementadas em todas as unidades, enquanto ações locais se relacionam às demandas e necessidades específicas de cada unidade. GRI 403-6 ODS 3.4

Como exemplos de ações, temos o Quem Perde Ganha, em Vazante, e Reto a la Balanza, em Cajamarquilla, que foram implementadas com o objetivo de incentivar as pessoas a adotarem um estilo de vida saudável. Nas unidades do Complexo de Pasco e Cerro Lindo iniciamos as ações do Plano de Habitabilidade, com foco em conforto, bem-estar e qualidade de vida dos empregados próprios e terceiros. Em Pasco, as ações incluíram construção da cozinha central de El Porvenir, reforma nos refeitórios, contratação de nutricionista responsável por orientar os trabalhadores sobre alimentação saudável, reforma e adequação dos alojamentos e das estruturas dos serviços de higiene (banheiros, sanitários e vestiários). Já em Cerro Lindo, as ações abrangeram reforma e ampliação dos alojamentos, adequação dos serviços de higiene, implementação das academias e áreas de lazer em todos os alojamentos e revitalização das áreas comuns. Destacamos também o programa Empresa Saudável em Cajamarquilla, que tinha como objetivo prevenir a síndrome metabólica e promover hábitos saudáveis dos empregados, sendo finalista no Programa de Reconhecimento 2018.

Seguimos fortalecendo o modelo de gestão compartilhada de Higiene e Saúde Ocupacional, que visa garantir a gestão dos potenciais riscos de doenças ocupacionais. Com isso, buscamos elevar a eficácia das nossas ações com foco na mitigação dos riscos, compartilhando conhecimento e responsabilidades sobre métodos e práticas preventivas para todos os empregados. Em 2018, também realizamos uma avaliação interna de processos de saúde e higiene ocupacional em todas as unidades, visando à conformidade legal, técnica e ao alinhamento com a política de Higiene e Saúde Ocupacional Corporativa, originando um plano com ações locais e corporativas para a melhoria continua do processo. GRI 403-3

A governança do programa se dá por meio do Comitê de Qualidade de Vida corporativo, integrado por representantes de Saúde e Segurança, DHO e Comunicação Corporativa, além de representantes das unidades, definidos por cada comitê local. O comitê corporativo define as diretrizes e ações que devem ser implementadas em todas as unidades. Já os comitês de qualidade de vida locais são responsáveis por implementar as ações corporativas e locais de acordo com as demandas das plantas e contribuir para elaborar um planejamento adequado às diferentes realidades. GRI 403-4 ODS 16.7

Em 2019, nosso objetivo é estabelecer indicadores para avaliar a efetividade das ações, assim como a implementação de ações do pilar físico nas comunidades.

Plano de Habitabilidade ODS 8.8

O principal destaque no período foi a implementação do Plano de Habitabilidade, com investimento de US$ 1,76 milhão e orçamento previsto de US$ 9,6 milhões para 2019. Após visitar todas as unidades de mineração no Peru, a equipe de HSO corporativa fez um diagnóstico das condições de alojamento, estrutura de serviços de alimentação (cozinhas, restaurantes e refeitórios) e higiene (sanitários, banheiros, vestiários e lavanderias) dos trabalhadores nas unidades e traçou um plano com ações de implementação de curto, médio e longo prazo a fim de melhorar a qualidade de vida, bem-estar e conforto dos empregados próprios e terceiros. Solucionados os problemas mais básicos e urgentes, outros ajustes foram programados, entre eles a ampliação e construção de novos alojamentos, iniciada em 2018 e finalização prevista para 2020. As unidades brasileiras, que estão mais avançadas nesse quesito, passarão futuramente por um levantamento sobre as condições de habitabilidade.