Direcionadores estratégicos

Eixo Crescimento

Nossa estratégia consiste em crescer de forma sustentável com a exploração de zinco e cobre nas Américas, garantindo a criação de valor de longo prazo, com alocação de capital ideal por meio de cinco avenidas de crescimento: extensão da vida útil das minas, projetos brownfield, projetos greenfield, exploração de novas áreas e desenvolvimento de novos negócios.

Nossos objetivos estratégicos no eixo Crescimento, até 2025, são aumentar nossa produção anual de zinco equivalente para 1,3 milhão de toneladas, manter nossas reservas economicamente viáveis e atingir 100% de integração entre nossas operações de mineração e metalurgia. Para tanto, alocamos em 2019 recursos da ordem de US$ 410 milhões em Capex.

Projetos greenfield

Nossos projetos são desenvolvidos de maneira inteligente e procuram ser competitivos no que se refere a custo, agilidade, mínimo de desvios em relação ao planejado e máximo retorno, criando valor para todos os públicos envolvidos. Temos projetos em diferentes fases de avaliação de viabilidade FEL (Front-End Loading), que evoluíram em 2019 de acordo com o planejado: Magistral, Shalipayco e Pukaqaqa (Peru); Caçapava do Sul e Aripuanã (Brasil). Aripuanã, nosso principal projeto atual, já se encontra em fase de construção, o que nos permite, em termos de prospecção, direcionar mais recursos para outros projetos, como Magistral e Pukaqaqa.

Projetos greenfield em desenvolvimento

Aripuanã – Projeto polimetálico localizado no Estado de Mato Grosso, é considerado um dos maiores em zinco do mundo. A mina subterrânea integrada tem produção esperada de 2,3 milhões de toneladas de minério bruto por ano (especialmente zinco, chumbo e cobre) – com produção de 120 mil toneladas de zinco equivalente. A expectativa de vida útil é de pelo menos 13 anos, considerando apenas as reservas, com possibilidade de extensão por mais seis anos. Esse é nosso principal projeto dos próximos anos e um marco na mineração, devido a seu potencial e aos desafios envolvidos. Sua construção teve início em 2019, tendo alcançado 32% do investimento total e 28% de progresso físico ao final do ano. (Informações detalhadas sobre Aripuanã se encontram logo abaixo).

Magistral – Localizado na região de Ancash, no Peru, projeto pretende desenvolver uma mina de cobre a céu aberto. Em 2019, foram despendidos aproximadamente US$ 12 milhões, tendo em foco a conclusão dos estudos de pré-viabilidade (FEL2) e de viabilidade (FEL 3). Também revisamos com o governo peruano nosso cronograma de investimentos, de modo a otimizar as instalações do projeto. Estima-se uma produção média anual de 40 mil toneladas de cobre contido em concentrado, 3 mil toneladas de molibdênio e 600 mil onças de prata (17 toneladas) ao longo dos 16 anos de estimativa de vida útil, com início previsto da operação para o primeiro trimestre de 2024.

Pukaqaqa – O projeto contempla o desenvolvimento de uma mina a céu aberto de cobre, molibdênio, prata e ouro localizada na região de Huancavelica, a cerca de 400 quilômetros ao sul de Lima (Peru). O estudo se encontra em fase de pré-viabilidade (FEL2). Serão conduzidos novos testes metalúrgicos em 2020 para comprovar a viabilidade de reutilização dos resíduos e transformação em novo produto.

ShalipaycoJoint venture entre a Nexa Peru (75%) e a Pan American Silver Peru (25%) para exploração de potenciais minas subterrâneas de zinco, chumbo e prata na região de Junín, nos Andes centrais do Peru. Em 2019, investimos aproximadamente US$ 600 mil no projeto, focados em atividades de exploração, estudos geológicos, questões ambientais e sociais.

Caçapava do Sul – Projeto polimetálico para a produção de concentrados de cobre, chumbo e zinco localizado no Estado do Rio Grande do Sul, a cerca de 250 quilômetros do Porto de Rio Grande. Os recursos podem vir a ser explorados por lavra a céu aberto e subterrânea de forma concomitante. O programa de pesquisa em 2019 teve como objetivo o detalhamento dos recursos de cobre, com dispêndio de aproximadamente US$ 3 milhões e execução de 14,3 mil metros de sondagem em 29 buracos. Em 2020, estão previstas atividades de detalhamentos dos estudos já executados e interpretação das informações obtidas em 2019.

img12

Colaboradores de El Porvenir

Projeto Aripuanã

Aripuanã é nosso principal projeto para os próximos anos, fundamental para a evolução da nossa estratégia de continuar crescendo em mineração e metalurgia de zinco e cobre nas Américas. A produção de zinco em Aripuanã, a partir de sua estabilização (2022-2023), contribuirá para uma maior integração entre minas e smelters, o que significa que poderemos reduzir nossa dependência de compra de concentrado de zinco no mercado. O evento oficial de início das obras aconteceu em julho de 2019.

Avanços em infraestrutura

Concluímos a execução do túnel da rampa da mina subterrânea Link, seguindo a rampa da mina subterrânea Arex e continuamos avançando com a infraestrutura do projeto, em linha com o plano aprovado, que previa a construção do poço de elevação para o sistema de ventilação, a mobilização do novo fornecedor contratado para retomar o desenvolvimento do túnel de exploração da zona mineralizada Link, a perfuração do poço Arex como parte do plano de produção e o plano de comissionamento para fornecer energia provisória.

Prosseguimos com a construção de edifícios temporários e áreas de assentamento e em terraplenagem para estoque de resíduos da mina. As obras de terraplenagem também continuaram a progredir, principalmente no que tange as estradas de acesso, barragem de água, usina de beneficiamento e estoque de minério de resíduos. Além disso, iniciamos a construção da linha de transmissão de 69kV e do compartimento de conexão na subestação de Dardanelos.

Investimentos

No mês de outubro, concluímos a aquisição da Karmin Exploration Inc. no valor de US$ 71 milhões, que detinha 30% de participação no projeto Aripuanã, com isso assumimos 100% do controle da unidade.

Investimos US$ 124 milhões em 2019 para desenvolver Aripuanã, excluindo a compra de participação da Karmin, o equivalente a 32% dos US$ 392 milhões previstos para o projeto, e estimamos um aporte de aproximadamente US$ 220 milhões em 2020, com investimentos residuais a serem feitos durante o início da produção, em 2021 1.

Tecnologia e excelência operacional

Buscamos incorporar ao Projeto Aripuanã o que há de mais moderno em tecnologia e excelência operacional, além da visão de sustentabilidade em todos os processos. Alguns exemplos são a meta de reutilização de 100% da água, a construção de depósito de rejeitos a seco e o foco na cocriação de um legado para a comunidade.

Disposição de rejeitos a seco – Um novo processo de filtragem, secagem, manuseio e disposição de rejeitos secos em pilhas protegidas por camadas de geomembranas reduz o risco e o impacto ambiental.

Utilização de wetlands (pântanos) construídos – Com esse sistema, teremos a devolução controlada de água tratada aos corpos receptores, bem como no tratamento de água efluente da usina de beneficiamento, com recirculação de 100% da água tratada no processo e zero descarte para o meio ambiente.

Alto grau de automação – Incremento dos níveis de segurança, estabilidade operacional, redução de custos e aumento da produtividade.

Preservação de flora e fauna

Implementado por meio do Plano de Controle Ambiental (PCA) do Projeto Aripuanã, nosso viveiro de mudas desenvolve ações de resgate, manutenção, reintrodução, monitoramento e produção de mudas para posterior plantio de reconstituição de vegetação ou enriquecimento em áreas a serem preservadas. Em 2019, mais de 30 mil mudas foram cultivadas com a participação de moradores locais, gerando emprego e renda na região. Há também um cuidado com a segurança da fauna na área de implantação do projeto. Profissionais foram capacitados para resgatar animais, que são encaminhados a uma sala de atendimento veterinário no Centro Provisório de Recepção da Fauna Resgatada. Desde o início da construção do empreendimento, foram resgatados 667 animais, entre répteis, anfíbios, aves e mamíferos.

Qualificação

Por meio de uma parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-MT), realizamos uma reforma completa na antiga Escola Elídio Murcelli Filho, onde passamos a oferecer o Programa de Qualificação Profissional. Esse programa e os demais cursos de curta duração visam formar jovens e adultos de Aripuanã e região para o mercado de trabalho em geral. Em 2019, 340 alunos iniciaram as aulas e em 2020, serão mais 175, totalizando 515 profissionais formados pelo programa até 2021.

Durante o ano, realizamos um processo seletivo para preenchimento das 515 vagas ofertadas, sendo que 54% foram preenchidas por mulheres. Este resultado representa o primeiro passo rumo à meta de contratação de 50% de mão de obra feminina durante a fase de operação da futura unidade de Aripuanã.

Pretendemos preencher nosso quadro de pessoal com 65% de empregados locais, prioritariamente alunos formados pelo Programa de Qualificação Profissional do Senai-MT, e os 35% restantes virão de outras partes do país, preenchendo posições que demandam conhecimento técnico específico.

Legado social

O Plano Integrado de Socioeconomia (PIS) do Projeto Aripuanã está alinhado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em suas temáticas e no propósito de união entre os setores, colaborando para o alcance de objetivos compartilhados, visando minimizar os impactos e impulsionar o desenvolvimento positivo na região.

1 Até a data de publicação deste relatório, as atividades de construção do projeto não foram afetadas. Medidas e procedimentos adicionais de segurança estão sendo discutidos com nossos contratados para mitigar qualquer potencial impacto relacionado ao surto global de COVID-19, incluindo uma revisão no cronograma de construção.

Cidade de Aripuanã

Soluções para a comunidade de Aripuanã

Em 2019, avançamos na construção de soluções para a saúde e segurança da comunidade em duas frentes de trabalho:

Apoio à saúde e vigilância epidemiológica – Essa frente inclui capacitação para a gestão dos serviços de saúde; ampliação da cobertura no distrito de Conselvan; orçamentos e parcerias em negociação para a reforma e aquisição de equipamentos das Unidades Básicas de Saúde (UBS) e salas de emergência; credenciamento e treinamento das equipes médicas locais; melhoria da atenção especializada; elaboração do plano de vigilância epidemiológica; e doação de veículos para uso das equipes (1 caminhonete, 1 picape, 8 motocicletas, 6 bicicletas e 2 barcos). Garantimos o repasse voluntário de US$ 1 milhão para a Secretaria de Saúde de Aripuanã, conforme previsto no termo de cooperação assinado com a prefeitura. O valor destina-se à manutenção de quatro médicos e à compra de insumos, como medicamentos e itens de uso hospitalar.

Fortalecimento do sistema de saúde e prevenção – Promovemos diagnóstico da situação atual e possível monitoramento das melhorias de longo prazo, fortalecimento de políticas públicas em saúde e busca de soluções compartilhadas, além de melhoria da qualidade da assistência na atenção básica.

Habitação – Além dos cursos de qualificação que visam desenvolver as pessoas para o mercado de trabalho e para que possamos empregar 65% de mão de obra local e da região, estamos construindo 200 novas casas que serão habitadas por empregados contratados fora de Aripuanã, como item do pacote de benefícios oferecido. A construção das novas residências tem como objetivo amenizar a especulação imobiliária local.

img35

Colaboradores de Aripuanã

Migrantes, públicos vulneráveis e gestão pública – Demos continuidade, em 2019, ao programa de fortalecimento da rede de proteção aos direitos da criança e do adolescente e capacitação de agentes comunitários para atuar na prevenção de violações de direitos de jovens e mulheres. Promovemos um projeto em Conselvan, um dos distritos com maior vulnerabilidade social, para disseminar práticas restaurativas na educação, em que certificamos 32 profissionais da educação (72% dos profissionais-alvo do programa). Também inauguramos dois Centros de Apoio ao Migrante (CAMs), que vão oferecer orientação e atendimento ao migrante, além de servir como um canal de interlocução com a rede socioassistencial e demais políticas públicas do município.

Empreendedorismo e fornecedores locais – Todos os nossos fornecedores nos projetos sociais devem se comprometer a conduzir suas atividades de acordo com nossos requisitos de responsabilidade social, que incluem o comprometimento com os direitos humanos, o apoio ao desenvolvimento local, a promoção da segurança e da saúde no ambiente de trabalho, o cumprimento das Regras de Ouro Sociais e o respeito às 15 regras do Protocolo de Relacionamento Comunitário. Em 2019, foi realizada a segunda edição do Encontro de Oportunidades, em Cuiabá, que reuniu 70 empresários, gestores públicos, consultores, profissionais autônomos e representantes comerciais para conhecerem o projeto, as futuras demandas de bens e serviços e nossa política de gestão de fornecedores. Além disso, iniciamos o Programa de Desenvolvimento de Empreendedores e Fornecedores Locais, concebido para apoiar o crescimento sustentável e integrado das atividades produtivas já existentes e de novos negócios.

Povos indígenas – Temos como objetivo desenvolver cadeias produtivas locais, ampliar as oportunidades de convivência e participação da comunidade indígena e salvaguardar seu território e cultura, evitando esvaziamento das aldeias e perda de identidade.

Projetos brownfield

Para crescer de forma sustentável, temos também como estratégia a extensão da vida útil de nossas minas. Todas as nossas operações receberam recursos em 2019 de acordo com o nível de maturação de cada unidade. Os projetos foram planejados e executados de acordo com cronograma previamente estabelecido. Compartilhamos a seguir as iniciativas mais relevantes:

Vazante

Em 2019, realizamos 19,9 quilômetros de perfuração exploratória para estender a vida útil da mina de Vazante. Iniciado em 2013, até o momento o projeto contribuiu para ampliar em 12 anos as operações e seguimos com pesquisas para aumentar ainda mais esse potencial. Com o aprofundamento da mina, a expectativa é manter sua produção entre 130 mil e 140 mil toneladas de zinco por ano.

O projeto de exploração trabalhou na extensão dos corpos de minério da mina, com foco na pesquisa mineral dos alvos Lumiadeira e Extremo Norte, bem como na perfuração de outros alvos de exploração, que podem conter mineralização próxima ao depósito conhecido.

No ano, avançamos nas escavações de rampas que visam à reposição de reservas: das cinco previstas no projeto, duas já foram concluídas. Também já foram entregues 8 das 12 bombas que vão formar a estação de bombeamento para rebaixar o aquífero da região, permitindo a extração do minério com segurança.

Cerro Lindo

Continuamos investindo em desenvolvimento de mina em Cerro Lindo e liberando as permissões ambientais para acessar novas áreas de exploração e, consequentemente, investigar a continuidade de zonas mineralizadas recém-encontradas e estender os corpos minerais, além de agregar mais recursos para ampliar a vida útil da operação.

Ao final de 2019, a equipe de exploração perfurou 107,5 quilômetros de sondagem diamantada distribuídos em perfuração exploratória e infill. Na região de Orcocobre e na continuidade da mineralização do corpo OB3-4, identificamos o mesmo tipo de minério encontrado nos corpos mineralizados já bem conhecidos da mina Cerro Lindo.

Colaborador de Morro Agudo

Complexo Pasco

Já no Complexo Pasco, que inclui as minas de Atacocha e El Porvenir, o resultado de exploração nos permitirá agregar recursos minerais, com a descoberta do corpo mineralizado Sara (com alto teor de prata e chumbo) e a confirmação de bons resultados na zona de integração, possibilitando ampliarmos assim a vida útil das duas operações.

Finalizamos dentro do prazo previsto o alteamento da barragem El Porvenir e obtivemos a licença de funcionamento, o que possibilita a continuidade da operação. Também concluímos a engenharia de pré-viabilidade do alteamento da barragem Atacocha, cumprindo o Plano Diretor de Rejeitos para Cerro de Pasco, assim como iniciamos os estudos para o sistema de bombeamento de rejeitos do El Porvenir até Atacocha, o que significará a total integração das duas unidades para a disposição de rejeitos de maneira sustentável.

Em 2019, o programa de exploração foi direcionado para aumentar os recursos minerais em níveis específicos das minas. O programa de perfuração identificou a mineralização ao longo da extensão dos alvos San Gerardo, Sara, Veta 27 e Integração, entre outros, deixando-os com potencial aberto para expansão. Essa conquista foi obtida em um total de 40,2 quilômetros de furos exploratórios diamantados em Atacocha e 47,8 quilômetros em El Porvenir.

Morro Agudo/Projeto Bonsucesso

Esse projeto tem como objetivo estender a vida útil do complexo Morro Agudo. Em 2019, o programa de exploração foi direcionado para intensificar o trabalho de perfuração diamantada no projeto Bonsucesso. Houve extensão dos corpos de minérios conhecidos e também o potencial da mineralização de zinco e chumbo a oeste da zona principal de minério, com altos teores de zinco e chumbo, duplicando o volume de minério indicado e medido na região. Esperamos finalizar o FEL3 em 2020 e iniciar a construção em 2021, após a aprovação das licenças ambientais.

Exploração de novas áreas

Para mantermos um portfólio de projetos otimizado, que nos permita operar de maneira sustentável ao longo dos anos, estudamos opções de crescimento orgânicas (expansão de operações atuais e projetos greenfield) e inorgânicas (eventuais compras de ativos) no Peru, no Brasil e na Namíbia. Atualmente, contamos com um pipeline robusto de projetos greenfields em andamento, desde os regionais exploratórios até aqueles que estão em estudo de viabilidade.

Um de nossos principais projetos em prospecção, Hilarión, está localizado na região de Ancash, a 230 quilômetros de Lima, no Peru. Trata-se do segundo maior depósito de zinco ainda não explorado na América do Sul, segundo dados da SNL Metals & Mining 2019, com recursos medidos e indicados de 69,4 milhões de toneladas e 37,5 milhões de toneladas de recursos inferidos. Ao longo de 2019, realizamos 9,1 quilômetros de sondagem, que indicaram continuidade das zonas mineralizadas na direção do depósito El Padrino e potencial de expansão. Seguiremos os estudos geológicos e sondagem diamantada para aumentar os recursos e potencial do depósito.

Florida Canyon é uma outra área que faz parte do nosso programa de sondagem, na região da Amazônia, no Peru. Foram executados mais de 14 quilômetros de sondagem em 2019, com foco em duas áreas relacionadas a alimentadores que geraram a concentração de sulfetos mineralizados em mantos, corpos e veios. Foram definidos novos corpos mineralizados, com teores de zinco ao redor de 10%, trazendo boa perspectiva para futura exploração.

Seguimos com os trabalhos de exploração mineral no projeto Aripuanã ao longo de 2019, visando estender as mineralizações existentes e encontrar novas oportunidades para a unidade, como confirmar o grande potencial do alvo Babaçu. A campanha de perfuração se concentrou em explorar essas zonas mineralizadas do Babaçu e confirmou a presença de minério de alto teor ao longo de 1,3 km de extensão. Perfuramos um total de 12,6 km, confirmando a geometria prévia e abrindo a possibilidade de conexão com o alvo Ambrex em profundidade.

Além desses projetos em andamento, a exploração mineral consolida um portfólio de áreas para pesquisa inicial e sondagem exploratória, visando ao posicionamento estratégico em domínios férteis para a exploração de depósitos e à alimentação do pipeline, para assim impulsionar e desenvolver outros projetos de cobre e zinco.

Recursos e reservas

Declaramos anualmente nossos recursos e reservas minerais provadas e prováveis de acordo com as Normas de Definição de Recursos Minerais e Reservas Minerais (2014 CIM Definition Standards) preparadas pelo CIM (Instituto Canadense de Metalurgia e Petróleo) e incorporadas por referência no National Instrument 43-101 (NI 43-101) de todas as minas e projetos. As Unidades Operacionais de Cerro Lindo, El Porvenir e Vazante também possuem reservas minerais declaradas de acordo com o Industrial Guide 07 (IG07) da SEC (Securities and Exchange Commission), nos Estados Unidos. Essas informações estão disponíveis no Relatório Anual da Nexa 20-F, acessível pelo ir.nexaresources.com/regulatoryfilings. De acordo com NI 43-101, em 31 de dezembro de 2019, o total de metal contido em nossas reservas minerais era de 3.992,4 mil toneladas de zinco, 426,6 mil toneladas de cobre, 711,6 mil toneladas de chumbo, 104.966 mil onças de prata e 294,8 mil onças de ouro, representando uma perda de 2,4% de reservas totais (em massa).

Recursos e reservas2

Obs.: A estimativa das reservas e recursos minerais envolve premissas sobre os preços futuros das commodities e questões técnicas de mineração. A declaração apresentada de Recursos e Reservas segue os Padrões de Definição CIM 2014 (Definition Standards for Mineral Resources and Mineral Reserves).

2 Os valores apresentados neste quadro não foram ajustados para refletir nossos interesses de propriedade. A informação apresentada nesta tabela inclui 100% das estimativas de reservas e recursos minerais de nossas subsidiárias consolidadas e de nossas joint ventures, calculadas com base no padrões de definições CIM 2014, incorporadas no NI 43-101, algumas das quais não são de propriedade total, conforme estabelecido na coluna de participação disponível no 6-k mining report que pode ser acessado em ir.nexaresources.com/regulatoryfilings.

3 Os recursos minerais são reportados exclusivos às reservas minerais, e têm as datas efetivas descritas no 6-K mining report.