Sociedade

Tema material
Desenvolvimento local
GRI 103-2, 103-3 ODS 11.6, 13.2

Projeto Social em Cerro Pasco

Entendemos que o tema social é uma alavanca fundamental para o setor de mineração e, por essa razão, buscamos um relacionamento cada vez mais próximo, transparente e construtivo com a sociedade. Almejamos ser capazes de cocriar um legado positivo e estruturado com as comunidades onde operamos, promovendo transformações positivas para o desenvolvimento local, em um ambiente harmônico, pautado no respeito e na empatia.

Simbolizando a relevância que damos para o tema e com o objetivo de termos uma administração mais coesa dos planos e ações relacionados ao assunto, criamos a Gerência-Geral de Gestão Social, dentro da Diretoria de Sustentabilidade, fundindo as áreas de Relacionamento com as Comunidades e de Projetos Sociais.

Outra ação importante no ano foi a aliança de cooperação estratégica firmada com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), para o desenvolvimento local e a melhoria dos índices de Desenvolvimento Humano nos territórios onde operamos, de acordo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Reforçamos, todos os anos, as ações locais ou nas microrregiões localizadas no entorno de nossos negócios que permitam inclusão social, fortalecimento, transformação e diversificação da economia local, melhoria e inovação nas políticas públicas, proteção ambiental e uso racional dos recursos naturais, participação e mobilização social, incentivo ao protagonismo jovem, e melhorias na infraestrutura e nos equipamentos públicos.

Desde 2015, conduzimos um processo de entendimento das necessidades de cada localidade e da interação com os atores sociais, por meio do diálogo estabelecido na agenda social e dos Planos de Desenvolvimento Locais (PDL). Foi por meio dessa escuta à comunidade que estabelecemos os quatro eixos estratégicos que passaram a nortear nosso portfólio de projetos sociais a partir de 2018: Desenvolvimento Econômico Local, Gestão Pública e Participação Social, Socioambiental, Infância e Juventude. Nosso portfólio de projetos foi ajustado para atender a essa nova estratégia, tanto no Brasil quanto no Peru.

Nosso investimento social com recursos próprios, incentivados e captados totalizou no ano US$ 14,5 milhões, registramos, assim, um incremento de 39% em comparação aos US$ 10,4 milhões destinados em 2018. GRI 203-1, GRI 413-1 ODS 4.4, 8.6, 10.2

Patrocinamos, no período, um total de 145 projetos em 17 localidades do Brasil e do Peru, beneficiando mais de 44 mil pessoas em iniciativas alinhadas aos nossos quatro eixos estratégicos de atuação social.

Ações por eixo estratégico ODS 1.3, 4.4, 8.6, 10.2

Eixo Desenvolvimento Econômico Local

Queremos contribuir com o desenvolvimento econômico sustentável dos territórios, por meio da potencialização de seus recursos locais, da qualificação das pessoas e da proteção ambiental. Os projetos são fruto do diálogo social realizado entre 2017 e 2018 na Agenda Social, processo de suma importância na construção de projetos sociais aderentes às localidades onde atuamos. Seguem alguns exemplos:

Plano de Piscicultura e Turismo ODS 8.9, 12.b, 14.7

Atuamos, em 2019, na frente de turismo com ferramenta de desenvolvimento local em dois municípios com vocação reconhecidamente comprovada pelos diagnósticos setoriais. Em Vazante, identificamos o potencial do turismo de negócios, religioso e espeleológico na região, quando passamos a apoiar o poder público na elaboração e validação popular da Lei Municipal 1803/19, que criou a política municipal de turismo, no âmbito do projeto de Apoio à Gestão Pública (AGP) – Plano Municipal de Turismo. O processo foi realizado de forma participativa, por meio de oficinas com as comunidades, consultas ao poder público e audiências públicas, com presença de 176 pessoas de diversos setores ligados ao turismo. O início efetivo das ações que derivam do plano aprovado está previsto para 2020.

Outro projeto em andamento da frente de turismo é o Mais Vazante que prepara o setor de serviços de hospedagem e gastronomia, por meio de mentorias individualizadas. Estamos articulando e capacitando os 28 principais prestadores de serviço do município nos temas atendimento ao cliente, higiene e limpeza, gestão e governança, com impacto na qualidade do atendimento para mais de 130 hóspedes dos hotéis e acima de 900 pessoas atendidas diariamente pelos restaurantes envolvidos no projeto.

Em Três Marias, a frente de turismo executou durante o ano mentorias individualizadas para o estabelecimento de comércio e serviços gastronômicos e de hospedagem no bairro Beira Rio, às margens do Rio São Francisco, envolvendo diretamente 38 lideranças do setor. Fortalecendo essas ações, o projeto construiu, de forma participativa, com poder público e comunidades, o Plano Municipal de Turismo, que prepara o município para o ecoturismo, outra vocação da região. A criação da logomarca do Beira Rio – São Gonçalo do Abaeté como destino turístico, colocou como meta, para 2020, a execução de uma estratégia de divulgação do destino, com o objetivo incrementar a renda gerada pelo turismo com o aumento de circulação de visitantes na região.

Paracatu Movimenta – Ecossistema de Inovação

Projeto de apoio institucional à Agência de Desenvolvimento Sustentável de Paracatu (Adesp) tem como objetivo fortalecer a instituição para que seja capaz de liderar processos e projetos de inovação para o desenvolvimento econômico sustentável no município. Em 2019, a associação criou o Ecossistema de Inovação Vale do Paracatu, aprovado pelo Fundo Municipal de Desenvolvimento Sustentável, com um aporte de R$ 300 mil para os trabalhos que serão desenvolvidos em 2020.

Assistência Técnica Rural

Oferecemos assistência técnica agropecuária rural para pequenos produtores de leite na vizinhança da unidade de Morro Agudo, em Paracatu, por meio do projeto Boas Práticas Rurais, e na zona rural de Vazante, por meio do Projeto Rural Forte. Ao todo 54 pequenos produtores rurais (sendo 90% produtores de leite) foram beneficiados diretamente pelo projeto, o que representa pouco mais de 240 pessoas impactadas diretamente. Os pequenos produtores receberam orientações técnicas de zootecnista, engenheiro agrônomo e técnico agrícola, com foco na melhoria da produtividade por meio do manejo adequado da pastagem e da preparação da alimentação do gado, além da inserção de boas práticas de gestão da propriedade rural.

Em 2019, os produtores de Morro Agudo registraram crescimento de 1,8% na quantidade de leite produzido, apesar da diminuição de 9% do número de animais em lactação. Ou seja, houve um aumento relevante de produtividade. Em Vazante, por sua vez, o projeto trouxe melhores resultados na frente de gestão propriedade rural, que diminuiu os custos com a produção do leite em aproximadamente 1,7%.

Projetos em Juiz de Fora

Desenvolvemos dois projetos sociais focados na geração de renda, preparação e acesso ao mercado de trabalho para jovens e adultos residentes no bairro Igrejinha, vizinho da nossa unidade em Juiz de Fora. O Projeto Comunidade em Ação, iniciado em 2019, oferece consultorias individuais e capacitações para 30 empreendedores formais e informais do bairro de Igrejinha e da região com o objetivo de contribuir para o fortalecimento das competências socioemocionais e do comportamento empreendedor, com consequente ampliação de renda. Com objetivo semelhante, o projeto QualificAção levou capacitação profissional para 40 jovens e adultos, atrelando formação sociocomportamental e técnica para inserção no mercado de trabalho. Em 2019, um banco de talentos foi consolidado e a rede de empregabilidade acionada para processos seletivos em 2020.

Fomento ao ambiente empreendedor

O mapeamento da cadeia de valor dos setores de comércio e serviços de Três Marias orientou em 2019 as diretrizes para o desenvolvimento de dois projetos direcionados ao fomento do ambiente empreendedor: o projeto Vocação Empreendedora, em conjunto com Associação Comercial e Empresarial e a Câmara de Dirigentes Lojistas do município (ACE/CDL), e o projeto de Apoio à Gestão Pública (AGP) – Fomento ao Ambiente Empreendedor, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

As intervenções focam duas frentes distintas: uma com foco no fortalecimento e estruturação da governança de planejamento estratégico das ACE/CDL, com a finalidade de engajar empreendedores do setor de comércio e serviços a se associarem, e o outro estruturando uma estratégia de planejamento integrado e proativo entre as lideranças governamentais e empreendedores do setor.

As novas oportunidades de fomento ao desenvolvimento de novos negócios em Três Marias começam a se materializar por meio da elaboração e aprovação de um Plano de Ação com iniciativas a serem executadas de forma integrada nas áreas de empreendedorismo e inovação social, prevendo integrar, em 2020, 30% dos MEIs existentes na cidade às atividades da ACE/CDL.

Outro resultado importante foi a elaboração e construção, com mais de 75 lideranças da gestão pública de diversas secretarias ligadas ao tema (entre Agência de Desenvolvimento de Três Marias, CDL, lideranças do setor e Secretaria de Desenvolvimento), de uma minuta de projeto de lei para o estabelecimento do Plano Municipal de Fomento ao Ambiente Empreendedor. Os objetivos são facilitar e desburocratizar as condições para a instalação e formalização de novos negócios no município, beneficiando todo o setor de comércio e serviços.

Manejo competitivo da Cadeia Pecuária de Conchucos

O projeto tem como intuito melhorar a produtividade, competitividade e rentabilidade das cadeias pecuárias na Comunidade Camponesa Conchucos, local próximo ao projeto Magistral, no Peru. Apoiamos a organização comunitária a adotar e aplicar suas capacidades técnicas no aprimoramento genético de bovinos a partir da adoção de um manejo diferenciado da alimentação e da higiene local dos bovinos. Com contribuição dos membros da comunidade dedicados à atividade pecuária, é realizado um gerenciamento eficiente dos recursos hídricos, o que tem como objetivo evitar qualquer tipo de contaminação do lençol freático local. O projeto teve início em 2016 e a conclusão é estimada para 2022.

Projeto Social em Cerro Pasco

Eixo Gestão Pública e Participação Social

Nesse eixo estratégico, pretendemos estimular a participação social, fortalecendo a cidadania e o protagonismo da sociedade civil e incentivar o aprimoramento da gestão pública, de modo a torná-la mais eficaz no desenvolvimento de políticas públicas.

Agenda Social – Rede Comunitária pelo Desenvolvimento Local

Temos estreitado os laços com as comunidades em processos participativos que denominamos Agenda Social (2017 – 2019). Por meio dela, em diálogo com toda a comunidade, já foram elaborados os Plano de Desenvolvimento Local para as unidades do Brasil, assim como o desenho de projetos sociais. Para dar continuidade a esse processo, a nova etapa estimula a formação de uma rede de desenvolvimento comunitária para promover o bem-estar e o desenvolvimento local. A proposta é convidar os participantes para consolidar um grupo que se fortaleça e seja capaz de construir soluções conjuntas às suas necessidades, além de atuar de forma colaborativa e inclusiva para atingir objetivos comuns de forma autônoma.

Gestão Integrada de Resíduos Sólidos

O projeto desenvolveu e aprovou em 2018 a Lei Municipal 32/2018 que estabelece o Programa de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PGIRS) do município de Vazante. Em 2019, o projeto cumpriu 100% do Plano de Ação elaborado para a implantação do PGIRS: formalizou a associação de catadores, criou e fortaleceu 11 Núcleos de Educação Ambiental (NEAs), implantou 16 Locais de Entrega Voluntária (Levos) de resíduos sólidos no centro urbano e zona rural da cidade e estabeleceu uma governança entre poder público, associação de catadores e empreendedores locais para implantar a coleta seletiva – que passou a acontecer porta a porta diariamente.

Essas ações impactaram diretamente mais de 500 pessoas diretamente e quase 2 mil pessoas indiretamente, sendo aproximadamente 30% das pessoas residentes em Vazante. Para 2020, serão intensificados os esforços para fortalecer a cadeia de valor dos resíduos, assim como a associação de catadores, para ampliar a geração de renda advinda da reciclagem, prevendo aumentar em 100% o volume de resíduos sólidos destinados pela associação. O projeto incorpora, ainda, a frente de compostagem de resíduos orgânicos, pretendendo reduzir, apenas em 2020, 1 tonelada os resíduos orgânicos hoje destinados ao aterro sanitário. O projeto está conectado também ao Eixo Socioambiental.

Projeto Social em Cerro Pasco

Gestão do Sistema de Abastecimento de Água

O projeto partiu de um diagnóstico das condições de abastecimento de água, elaborado em conjunto com a gestão do município de Aripuanã. Esse diagnóstico apontou consumo diário de 404 litros por habitante, perdas de água superiores a 50%, somente 40% de micromedição, além de problemas na distribuição e de qualidade da água. Em conjunto com gestores públicos, foi elaborado um Plano de Ação (2019/2020) cujas metas imediatas e de curto preveem ações de melhoria e modernização do sistema de abastecimento de água do município. As principais iniciativas incluem a compra e instalação de 2,8 mil hidrômetros, a reforma da Estação de Tratamento de Água (ETA) e da captação de água bruta, recadastramento das ligações não residenciais e estudos para recuperação tarifária. O impacto imediato do plano permitirá a autossuficiência financeira do Departamento de Água e Esgoto (DAE), hoje dependente de recursos da prefeitura, com melhora da qualidade dos serviços prestados para os mais de 11,6 mil habitantes do núcleo urbano do município.

Equilíbrio fiscal

Tem como objetivo apoiar a gestão pública de Aripuanã a equilibrar as contas municipais por meio do controle de suas despesas e receitas. O projeto visa otimizar os impactos do investimento público no incremento das receitas próprias, ISS e transferências (ICMS, Royalties CFEM); na pressão sobre a infraestrutura básica, equipamentos e serviços sociais, nos serviços de compras governamentais, buscando equilíbrio financeiro, eficiência e eficácia do poder público na utilização dos recursos próprios do município. Em 2019, o trabalho com os gestores e com o processo de formação dos fornecedores da prefeitura municipal garantiu um incremento de aproximadamente 40% na arrecadação do ISS municipal, com recursos que ficaram dentro de Aripuanã.

Desenvolvimento Local em El Porvenir

Com o objetivo de fortalecer os processos de desenvolvimento local com base em gestão econômica, social e institucional, focamos em apoiar o desenvolvimento dos espaços de diálogo e vínculo com instituições públicas, privadas e comunitárias. A partir disso, governos locais, provedores de serviço e usuários passaram a gerenciar de maneira mais sustentável os serviços de água potável, melhorando seu desempenho na gestão de serviços públicos e o seu papel no desenvolvimento local, com competitividade nas atividades econômicas tradicionais.

Voluntariado – Somos todos

É o nosso programa de voluntariado, presente em todas operações e escritórios, e que segue de forma transversal contribuindo para a criação de um legado em conjunto com a comunidade e como apoio às iniciativas que integram os quatro eixos estratégicos de nossa gestão social. Tem como proposta fomentar a participação social e o desenvolvimento de redes e alianças locais, propiciando diálogo e maior engajamento das comunidades e negócios para o desenvolvimento sustentável local.

Conta com o engajamento ativo da liderança da empresa, em vários níveis, e integra nossa estratégia empresarial como uma ferramenta de empatia e engajamento social. Em 2019, ganhou amplitude e visibilidade, expressos por mais de 20 mil horas dedicadas a ações, o envolvimento de cerca de 1,2 mil empregados diretos e terceiros, além de centenas de pessoas da comunidade, e aproximadamente 34 mil beneficiados.

Algumas ações de destaque de 2019 foram:

Somos Talento – Reconhecendo os diferentes talentos e o potencial de impacto comunitário de nossos colaboradores, o projeto surgiu na unidade de Juiz de Fora como uma iniciativa de compartilhamento de conhecimentos diversos. Ali, por meio de oficinas continuadas, promove-se o desenvolvimento pessoal e profissional do público interno e externo. Em 2019, foram ministradas aulas de culinária para 25 jovens da comunidade, o “Crescendo na Cozinha”, além de aulas de inglês, finanças e informática para mais de 30 colaboradores diretos e terceiros.

Parque Ecológico La Quinua – Em uma região onde as opções de espaços coletivos de lazer para crianças são limitadas, a iniciativa transformou um terreno onde se acumulavam resíduos em uma área de lazer – um parque ecológico. A partir de materiais descartados na operação do Complexo Pasco, construímos junto com a comunidade estruturas e brinquedos que beneficiam mais de 200 famílias da comunidade camponesa de La Quinua.

Nexa+Comunidade – A iniciativa é uma parceria entre a Nexa e a comunidade de Três Marias, que mobilizou a rede de parceiros e instituições locais para um grande evento de prestação de serviços gratuitos nas áreas de Sustentabilidade, Cidadania, Beleza, Saúde, Lazer, Cultura e Comunicação. Foram beneficiadas diretamente 8,5 mil pessoas, em 25 mil atendimentos.

Protagonistas por uma mudança socioambiental – O escritório de Lima, em parceria com o Recidar, realizou ações de formulação criativa e reforma dos ambientes coletivos da Instituição Educacional de Malta. A iniciativa teve como objetivo fomentar o protagonismo e a participação dos jovens na construção de um espaço educacional mais aberto e receptivo. O projeto contou com oficinas de design thinking e um hackaton, com o layout desenvolvido colaborativamente. Mais de 60 alunos e dois professores participaram diretamente da ação, beneficiando indiretamente mais 2 mil alunos de nível primário e secundário.

Mesas de Luz para estimular a aprendizagem infantil – Buscando a potencialização do ensino e a aprendizagem, a iniciativa utilizou materiais reciclados da operação de Cajamarquilla para a fabricação e instalação de mesas didáticas de luz, na Instituição Educacional La Florida. As mesas de luz seguem a abordagem educacional Reggio Emilia, que visa criar uma escola amigável, ativa e inventiva, um local de aprendizado por meio da pesquisa, reconhecimento e reflexão das crianças na primeira infância. A iniciativa beneficiou diretamente 55 crianças das duas turmas de educação infantil.

+20 mil

horas dedicadas

1,2 mil

empregados

34 mil

beneficiados

Eixo Socioambiental

Essas iniciativas visam contribuir para a melhoria da disponibilidade e da qualidade da água, da gestão dos resíduos sólidos e das condições de saúde ambiental.

Mais água – Morro Agudo Vivo

Concentra-se nas iniciativas de preservação de recursos hídricos da região de Morro Agudo por meio do cercamento das áreas de nascentes, veredas e áreas de proteção. Em 2019, o projeto construiu mais de 3,5 mil metros de cerca em mais de dez propriedades rurais da área de influência da unidade, na região da Bacia do Córrego do Batuque, impactando diretamente 80 pessoas residentes nas propriedades beneficiadas pelo projeto. O objetivo para 2020 é incorporar novas área de nascentes a serem recuperadas, com a integração do trabalho de cercamento de nascentes às atividades do Programa de Educação Ambiental e o compartilhamento de informações para que os produtores avancem no gerenciamento sustentável de sua propriedade.

Gente Cuidando das Águas – Vazante

Planejamos o incremento do Projeto Gente Cuidando das Águas, realizado em parceria com o BNDES, que associa cercamento de áreas de nascentes e veredas com educação ambiental comunitária e escolar, no município de Vazante. O foco será trabalhar as questões ambientais ligadas aos recursos hídricos e gestão das águas.

AGP – Saneamento básico (água e esgoto)

O projeto parte de diagnósticos censitários para conhecer as condições de abastecimento de água e esgoto nas áreas de influência de nossas unidades. A partir desses dados e em conjunto com as comunidades serão construídos soluções e projetos executivos para a melhoria dos serviços oferecidos à população. Serão ainda revistos os Planos Municipais de Saneamento Básico, contribuindo para aumentar o acesso à água potável e ao saneamento das comunidades no entorno das nossas operações no Brasil e no Peru.

Em 2019, o diagnóstico levantou as condições de abastecimento de água e esgotamento sanitário em pouco mais de 950 domicílios localizados nas áreas de influência das unidades de Juiz de Fora, Três Marias, Vazante e Morro Agudo. O projeto conta com o apoio do Instituto Trata Brasil e da Consultoria Reinfra, responsáveis pelo acompanhamento do programa nas regiões. Para 2020, prevemos a elaboração de soluções adequadas às características de cada localidade, tal como levantadas nos diagnósticos.

Telemedicina

O projeto Telessaúde busca melhorar o acesso da população vulnerável ​​aos serviços públicos de saúde. Para isso, fornecemos uma solução tecnológica composta por equipamentos para os estabelecimentos de saúde locais, com um kit de ultrassom e software que envia as imagens capturadas pelo aparelho aos radiologistas que fornecem um diagnóstico preciso em 48 horas, recomendando os cuidados mais adequados para o paciente. O projeto aborda protocolos médicos para o segundo e terceiro trimestres de gravidez, bem como protocolos de abdome. Atualmente, está na fase de implementação e treinamento do pessoal de saúde no uso dessa tecnologia. Além disso, auxiliadas pela tecnologia da teleducação, estão sendo programadas campanhas educativas para a saúde preventiva.

Projeto Social em Vazante

Eixo Infância e Juventude
ODS 16.2

Nossa missão é contribuir com o desenvolvimento social de crianças e jovens, de modo a torná-los protagonistas, socialmente participativos, além de capacitados e qualificados para o estudo e o trabalho. Para tanto, buscamos fortalecer a rede de proteção e a participação social.

Arte e Cultura Jovem – A Banca

Igrejinha, em Juiz de Fora, é um bairro marcado pela alta vulnerabilidade social de adolescentes e jovens, que acabam convivendo em seu cotidiano com diferentes tipos de violência e acesso deficitário a direitos. Transformar essa realidade passa pelo esforço conjunto para ampliação de perspectivas, valorização da educação, autoestima e protagonismo do jovem. Esse projeto integra a estratégia de atuação social, fomentando empoderamento, fortalecimento da identidade, autoestima e perspectivas de futuro, com oficinas e atividades culturais que têm o referencial da cultura urbana, a educação popular e a música como referencial para a integração social.

Os beneficiários do projeto e familiares já percebem os primeiros efeitos dos projetos, com mudança de posicionamento, aumento da autoestima e transformações positivas de comportamento que impactam diretamente o clima e o cotidiano familiar e escolar. Em dois anos de atuação, o projeto já atendeu mais de 50 jovens em oficinas continuadas e mais de 200 adolescentes e jovens nas atividades coletivas, beneficiando diretamente mais de 50% do público dessa faixa etária do bairro, além de integrar os jovens da localidade a outros movimentos sociais do município.

Projeto de Vida

Um dos objetivos do Plano de Desenvolvimento Local de Três Marias é a ampliação de oportunidades educacionais, perspectivas e participação comunitária de adolescentes e jovens que cursam o Ensino Médio das escolas estaduais Ermírio de Moraes e João Guimarães Rosa. Nesse sentido, o Projeto de Vida integra a estratégia de atuação social local com o módulo curricular a partir das competências socioemocionais propostas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

O projeto busca tornar o ambiente escolar e a aprendizagem mais atrativos por meio de metodologias e temas transversais que dialogam diretamente com os desafios enfrentados pelos jovens em seu cotidiano. Em 2019, foram aplicadas autoavaliações, avaliações de competências socioemocionais e processos formativos para os gestores educacionais do 1º ano. Nos próximos anos, o projeto será estendido aos 2º e 3º anos. Atualmente o projeto beneficia 950 alunos e 15 professores.

Cultura de Paz

Projeto desenvolvido em Aripuanã visa à promoção da vida de crianças e jovens de forma integral, atuando com proteção de direitos, qualidade na educação formal e acesso a atividades socioculturais. Na frente de qualidade na educação, são executadas ações de capacitação de professores, apoio à gestão educacional e escolar, além de iniciativas de redução de conflitos e melhoria do clima e rendimento escolar. No distrito de Conselvan, por exemplo, uma das áreas de maior vulnerabilidade social do municípios, crianças e adolescentes convivem cotidianamente com violações de direitos e violências. O projeto tem como objetivo promover a cultura da paz nas escolas, ajudando a lidar com os conflitos em convivência coletiva, melhorar ambiente e o rendimento escolar, com o fortalecimento da aprendizagem e decréscimo da evasão escolar. Em 2019, foram formados 72% dos professores das duas escolas locais, beneficiando 676 crianças e adolescentes e 32 trabalhadores da educação.

Escolas seguras e saudáveis

O projeto tem como objetivo melhorar as condições de ensino e saúde dos estudantes de cinco escolas localizadas em El Povernir e Atacocha. Atua no desenvolvimento das condições saudáveis no ambiente escolar, criando um processo de aprendizagem de melhor qualidade. Os estudantes das instituições educativas onde atuamos melhoram suas competências a partir de um processo de aprendizagem de qualidade. Além disso, com o apoio dos pais que participam ativamente na gestão e nos serviços básicos, o ambiente escolar se torna mais saudável.

Projeto Social em Cerro Pasco

Tema material
Descomissionamento
GRI 103-2, 103-3 ODS 11.4

Projeto Social em Três Marias

Nosso comprometimento com as instalações mineroindustriais que operamos no Brasil e no Peru não se limitam ao tempo de operação de nossas minas, estendendo-se para um adequado encerramento das atividades, com o objetivo de cocriar um legado para a comunidade do entorno.

Consideramos esse tema relevante e parte da estratégia do negócio, tanto que é acompanhado por políticas internas e envolve desde as unidades operacionais até a Diretoria-Executiva. Todas as nossas operações possuem planos de uso futuro e de descomissionamento elaborados com base nas referências técnicas mais atuais e nas melhores práticas de mercado. São planos mais completos e comprometidos do que a exigência legal vigente.

Um de nossos diferenciais está em planejar o descomissionamento antes mesmo do início das operações, como no caso mais recente de Aripuanã, que já terá o plano concluído antes mesmo do início das atividades, previsto para 2021. Revisamos nossos planos de descomissionamento no Brasil (2017) e no Peru (2018-2019), com a previsão de desembolso acima de US$ 92 milhões até 2022. Dessa forma, atingimos nossa meta de ter 100% dos nossos planos atualizados. Também estabelecemos uma governança para garantir que todas as etapas do plano seguirão conforme planejado.

Os planos de descomissionamento são documentos que contém orientações técnicas para uma desativação segura, completa e eficiente e contemplam informações sobre ações de natureza econômica, ambiental e social. Formalizar esses dados em um documento cria na população um senso de urgência que estimula o protagonismo da comunidade e do poder público que porventura não tenha sido alcançado durante a fase de operação da mina.

Em 2019, demos início ao plano de descomissionamento para Vazante e Três Marias, que já possuem estruturas a serem descomissionadas no âmbito do fechamento progressivo, como cavas e depósitos de rejeito. Também detalhamos o plano para de Atacocha, que terá início em 2020.

Descomissionamento de Vazante ODS 15.2

Apesar de haver estudos avançados para aumentar a vida útil da mina de Vazante, em Minas Gerais, seguiremos o Plano de Descomissionamento protocolado na Agência Nacional de Mineração (ANM), em que a previsão baseada em reservas prováveis e confirmadas, é de operação até 2027. Os investimentos para atender ao plano são e de US$ 19,5 milhões para o período 2019-2023.

Descomissionamento de Atacocha

Em 2019, nosso foco foi dar continuidade ao descomissionamento das barragens antigas de Atacocha e Cajamarquilla. Foram realizados estudos e detalhamento das obras para estabilidade física, hidrológica e geoquímica dos depósitos de rejeito Ticlacayán, Malauchaca, Vaso Cajamarquilla e Chicrín, localizados próximo à mina de Atacocha, no Complexo Pasco, no Peru, assim como realizado o diagnóstico socioambiental (meio físico, biótico, socioeconômico) e identificadas as limitações e potencialidades das áreas.

A alternativa escolhida para uso futuro dos depósitos foi a instalação de estufas localizadas ao longo da rodovia central em direção a Huariacca para cultivos de flores em média escala para venda nacional e futura exportação. Será um cultivo hidropônico para proteção do clima e controle de pragas, administrada por empresas comunais, beneficiando a população do entorno da operação.

A próxima fase consiste em realizar estudos de viabilidade e cadeia produtiva para a floricultura, assim como palestras informativas e capacitação dos camponeses para geração de novos negócios, assim como implementação de um projeto-piloto para testar a eficácia da alternativa.

Tema material
Direitos Humanos
GRI 103-2, 103-3 ODS 5.1, 8.7

Colaboradores de Morro Agudo

Temos como compromisso coibir toda e qualquer violação aos direitos humanos nas dimensões físicas, psíquicas, culturais e sociais, que implique em violência, abuso ou discriminação, em especial envolvendo crianças e adolescentes. Respeitar os direitos e o valor de cada indivíduo é fundamental no nosso negócio e na relação com nossos stakeholders.

Incentivamos a todos que denunciem qualquer situação de violação aos direitos humanos, ligando para o número 100, contato interno. E recomendamos às empresas parceiras a adoção de medidas de prevenção e procedimentos para tratamento de denúncias vinculadas a essas violações. Ao mesmo tempo, solicitamos aos nossos parceiros que assumam o compromisso de cumprir nossas Regras de Ouro Sociais, sob pena de punição. Todos os nossos colaboradores recebem treinamentos a respeito de nossas diretrizes, com base no nosso Código de Conduta. GRI 412-2 ODS 16.B

Fornecedores

Devido à natureza do nosso negócio, lidamos com um grande contingente de terceiros (no Peru, essa categoria chega a representar 70% da força laboral das operações locais). Por isso, a evolução de uma parceria estratégia é fundamental para uma melhor gestão de segurança, custos e performance.

No Peru, demos início à reclassificação de fornecedores de serviços das minas visando aprofundar nosso relacionamento com base nos quesitos citados acima e também buscando inovação. Já atingimos resultados positivos em 2019 e continuaremos esse trabalho ao longo de 2020. No que tange a segurança, por exemplo, reforçamos nossas políticas e desenvolvemos fornecedores muito mais conscientes, que informam proativamente possíveis riscos de acidente. Enquanto isso, no Brasil, o foco no ano foi a flexibilização do contrato de trabalho dos terceiros, de modo a ganhar produtividade.

Nosso sistema de gestão de terceiros está estruturado em quatro pilares: processos, ferramentas, estrutura e pessoas. No nosso Programa de Gestão de Terceiros temos 25 frentes multidisciplinares no Brasil e 36 no Peru, que trabalham na melhoria de procedimentos, ferramentas, fluxos, indicadores e maior clareza e definição dos papéis e responsabilidades ao longo de cada etapa do processo de gerenciamento dos serviços. Dessa forma garantimos, além do cumprimento das obrigações legais, a melhoria constante da qualidade dos serviços e a otimização de custos.

Em caso de denúncias de descumprimento dos requisitos relacionados aos impactos em direitos humanos, é iniciado um processo de investigação para averiguarmos os fatos e tomarmos as ações aplicáveis. As sanções vão desde multas à rescisão contratual. No período que abrange este relatório, não foi registrado nenhum caso de violação a essas condições.

EM BUSCA DE INOVAÇÃO

A relação mais próxima e de longo prazo com nossos fornecedores estratégicos permite desenvolver soluções inovadoras para o nosso negócio que independem de inscrição de ideias e projetos nas nossas plataformas formais de inovação, como o Mining Lab.

Em dezembro de 2019, por exemplo, firmamos um acordo com um fornecedor no Peru para nos ajudar a desenvolver uma nova tecnologia para substituir o processo de detonação nas minas, aumentando, dessa forma, a segurança dos trabalhadores e o impacto ambiental.

Outro projeto em andamento com um fornecedor brasileiro de grande porte consiste em incrementar nossa agilidade e eficiência do transporte de minério e de rejeitos. É o que denominamos Colaboração em Suprimentos (Supply Collaboration), uma forma de relacionamento que queremos fomentar cada vez mais.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

Nossos critérios para seleção de fornecedores incluem condições de caráter ambiental e socioeconômico, que são:

Aspecto ambiental

Cumprimento de legislação ambiental dos países de atuação

Norma ISO 14001

Programas de saúde, segurança no trabalho e meio ambiente

Programas de prevenção de riscos ambientais

Licenças de Funcionamento / Operação Ambiental

Cadastro Técnico Federal do Ibama

Aspecto socioeconômico

Cumprimento de todas as leis dos países de atuação (trabalhistas, fiscais, anticorrupção, etc.)

Não constar na Lista Suja do Trabalho Escravo, elaborada pelo Ministério do Trabalho e Emprego do Brasil

Assinatura de documento baseado na norma SA 8000, incluindo a não utilização de trabalho infantil ou forçado, a oferta de um ambiente de trabalho seguro e saudável para os trabalhadores, liberdade para associação e não discriminação de qualquer tipo.

Avaliação GRI 103-2, 103-3 ODS 8.8

Desde 2018, nossos principais fornecedores passam por um ciclo trimestral no qual fazemos uma avaliação considerando quatro dimensões: desempenho, saúde e segurança, meio ambiente e legislação. E, em 2019, incluímos os fornecedores de insumos e engenharia nesses ciclos formais de avaliação. As dimensões têm indicadores e pesos que vão compor a nota global do fornecedor, sendo que segurança agora possui peso maior do que o das demais dimensões. Os quesitos sustentabilidade e compliance são desclassificatórios; portanto, não entram no âmbito das dimensões avaliadas.

No último ciclo, nossos fornecedores passaram por avaliação mandatória, de acordo com critérios que incluem valor de contrato e relevância para o negócio. Foram avaliados 127 fornecedores no Peru e 250 no Brasil. Os fornecedores que não atingem a pontuação mínima de 7 na avaliação global e não seguem nossas recomendações de melhoria, são substituídos após três ciclos consecutivos com resultados abaixo do esperado. O gestor do contrato é o responsável por elaborar um plano de ação de recuperação, considerando cada dimensão que o fornecedor não atinge o esperado, em parceria com o fornecedor, assim como acompanhar a execução e o resultado do plano de ação acordado entre as partes. No ano, não houve cadastro de fornecedores bloqueado ou contrato rescindido por esse motivo.

Além disso, 66% dos nossos fornecedores no Brasil passaram por um processo que avalia a sua saúde financeira. Avaliações mensais e anuais são conduzidas com base em uma relação de compliance. Desde outubro de 2019, ao serem homologados, 100% dos fornecedores passam por um processo de due dilligence que, fora outros requisitos, também verifica em mais de 250 listas mundiais se há algum envolvimento que possa representar algum risco para a Nexa. Caso algum risco seja identificado, tomamos as medidas necessárias.

Em 2019, 58% dos novos fornecedores foram selecionados e incluídos no sistema com base em critérios de práticas trabalhistas e 20%, em critérios ambientais, direitos humanos e impactos sociais. Temos como meta engajar 100% dos fornecedores críticos em programas de prevenção e mitigação de riscos socioambientais até 2025, sendo que nossa intenção é antecipar esse objetivo. GRI 308-1, 414-1

Apesar de não termos em nossos cadastros fornecedores com operações consideradas de risco para a ocorrência de violações aos direitos humanos, alguns de nossos contratos e pedidos de compra fazem referência à temática por meio de cláusulas específicas que vetam a utilização de trabalho infantil, forçado ou análogo a escravo, além de estabelecerem a obrigatoriedade de consultar e cumprir o Código de Conduta. Os fornecedores também devem assegurar contratualmente um ambiente de trabalho seguro e saudável, a liberdade para associação sindical e a não discriminação por gênero, raça, classe social, nacionalidade, religião, deficiência física ou mental, opção sexual ou qualquer outra condição de diversidade. GRI 407-1, 408-1, 409-1

Cadeia de suprimentos GRI 102-9, 103-2, 103-3

Ao final de 2019, 4.967 empresas estavam cadastradas no nosso sistema (2.966 no Brasil e 2.001 no Peru), um número menor do que no ano anterior. São fornecedores de diversos segmentos: insumos, matérias-primas, gestão de resíduos, gestão ambiental, fornecimento de energia, minerais e produtos químicos, combustíveis em geral, serviços de saúde, fornecimento de embalagem, transporte em geral, MRO (Maintenance, Repair and Other), facilities e TI, serviços e manutenção, entre outros.

Ajustamos nossos procedimentos de cadastro, bloqueio, desbloqueio, ampliação e homologação de fornecedores com a migração para a plataforma Ariba, sempre mantendo a prioridade para os fornecedores do entorno das nossas unidades para fomentar o desenvolvimento econômico local. Nossas unidades têm autonomia para adquirir localmente serviços não críticos, trazendo agilidade para a operação e favorecendo a criação de vínculos locais de longo prazo. Também incentivamos fornecedores estratégicos e com maior interação conosco a abrirem unidades próximas às áreas de operação, prática que tem sido enfatizada em nosso novo projeto em Aripuanã. No encerramento do ano, nossas compras totalizaram US$ 1,9 bilhão, sendo 3% contratadas de empresas localizadas nas regiões onde atuamos.

Em 2020, teremos o primeiro Programa de Reconhecimento de Fornecedores, com o objetivo de premiar fornecedores que tenham um envolvimento relevante e recorrente conosco, a fim de gerar valor, fortalecer o espírito de colaboração e parceria. Todas as empresas que forneceram bens e/ou prestaram serviços durante o período de 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2019 e têm representatividade no volume total negociado em cada categoria (Logística, Capex, Serviços, Suprimentos e Materiais), participarão automaticamente da premiação.

Gastos com fornecedores GRI 204-1

18 Dados de 2017 e 2018 revisados devido a revisão no critério que define os fornecedores locais. GRI 102-48