loader image
Capital manufaturado
Nossos investimentos estão direcionados a dois eixos estratégicos: Crescimento e Excelência Operacional. Em virtude da crise sanitária global, houve um esforço em preservação do caixa ao longo do ano de 2020 e, consequentemente, investimentos foram reduzidos, sendo mantidas as iniciativas essenciais para assegurar que as operações cumprissem todos os requisitos de segurança.

Gestão de projetos

A atuação de nosso viabilizador estratégico de Gestão de Projetos foi crucial neste contexto, pois ajudou a garantir o desenvolvimento e a execução dos diversos projetos em andamento na companhia, apoiando as áreas para garantir o melhor retorno e minimizar o risco de desvio. Também atuamos no sentido de monitorar e aprimorar o plano de investimento de longo prazo, focando não só nos projetos de manutenção e modernização dos ativos, mas também em projetos de expansão da empresa prioritários nesse momento de crise e quais poderiam aguardar um melhor cenário, sem comprometer o crescimento futuro.

Crescimento

Nossa estratégia prevê a criação de valor de longo prazo, por meio de um crescimento sustentável a partir da exploração mineral para zinco e cobre nas Américas, com alocação de capital ideal por meio de cinco avenidas de crescimento: extensão da vida útil das minas, projetos brownfield, projetos greenfield, exploração de novas áreas e desenvolvimento de novos negócios.

Diante do cenário desafiador de 2020 e em linha com a nossa estratégia de crescimento sustentável, realizamos uma revisão no nosso pipeline de investimentos para preservação de caixa da empresa. Nesse sentido, destaca-se a revisão de investimentos em Capex, priorizando investimentos estratégicos, com total de recursos alocados em 2020 de US$ 336 milhões.

Apesar da revisão dos investimentos, os objetivos estratégicos dos eixos Crescimento e Excelência Operacional permanecem inalterados.

Projetos greenfield

Com a revisão estratégica, os investimentos do ano foram direcionados principalmente para o projeto Aripuanã, já em fase de construção (detalhes sobre a evolução do projeto abaixo).

Temos projetos em diferentes fases de avaliação de viabilidade FEL (Front-End Loading), que evoluíram de acordo com o quadro a seguir:

Colaboradora de Vazante (MG)
Crescimento

Projetos brownfield

Procuramos preservar nossos investimentos em projetos ao redor das minas que já operamos, de forma a estender sua vida útil, resultando em incremento de recursos e reservas.

Cerro Lindo

Durante a paralisação das atividades de perfuração (março a junho), em função da decretação de estado de emergência nacional pela pandemia, as atividades de exploração tiveram seus esforços direcionados para os estudos das informações geológicas coletadas nas sondagens diamantadas realizadas até o primeiro trimestre do ano, bem como no planejamento para a retomada.

Após o período de emergência nacional determinado pelo governo peruano, Cerro Lindo foi a primeira mina no país a ter seus protocolos aprovados para retomada das operações. As atividades de perfuração foram reiniciadas em junho, focadas nas extensões de corpos de minério conhecidos e na perfuração exploratória para encontrar novas zonas mineralizadas em direção à extensão sul da mina. Em 2020, a equipe de exploração realizou aproximadamente 60,4 quilômetros de sondagem diamantada, sendo 23,2 quilômetros de perfuração exploratória e 37,2 quilômetros de sondagem infill realizada pela unidade mineira, que confirmaram a continuidade de vários corpos minerais na região. Essas descobertas permitirão ampliar a vida útil de operação de Cerro Lindo em quase dois anos. Continuaremos investindo no desenvolvimento de mina para investigar e confirmar a continuidade de outras zonas mineralizadas.

Vazante

A exploração brownfield em Vazante tem como objetivo a expansão das zonas mineralizadas existentes e a exploração de novas áreas para definir novas zonas mineralizadas perto da mina. No primeiro semestre de 2020, confirmamos a extensão de um corpo de willemita na Área Extremo Norte e, no terceiro trimestre, a extensão da mineralização na área da Lumiadeira Sul. Um furo exploratório está em andamento na área de Vazante Sul (que inclui as áreas de targets exploratórios como Carrapato e Mata Preta). Com as novas áreas em exploração praticamente mantivemos a reserva em Vazante, ou seja, gerando reposição ao que está sendo lavrado.

Complexo Pasco

A ampliação da vida útil das duas operações no Complexo Pasco – Atacocha e El Porvenir – dependem do resultado de exploração que permitirá agregar recursos minerais, como a descoberta do corpo mineralizado Sara (com alto teor de prata e chumbo) e a confirmação de bons resultados na zona de integração.

Em resposta às medidas de isolamento da Covid-19, o programa de perfuração em Atacocha foi temporariamente suspenso, devendo ser retomado em 2021, quando estão previstos 3 quilômetros de perfuração exploratória.

Em El Porvenir, os trabalhos de sondagem foram direcionados para a extensão dos corpos mineralizados existentes ao longo do strike e em profundidade, assim como para a perfuração de exploração na zona mineralizada de Sara, buscando definir o potencial e avaliar a continuidade da mineralização na zona sul e oeste do alvo exploratório. Ao final de 2020 foram executados 16,1 quilômetros de sondagens exploratórias e outros 18 quilômetros estão planejados para 2021.

Morro Agudo/Projeto Bonsucesso

Com objetivo de estender a vida útil do complexo Morro Agudo, continuamos pesquisando o corpo mineralizado de Bonsucesso, que entrou na fase de viabilidade de projeto. Foram executados 6,1 quilômetros de sondagens de infill e 6,1 quilômetros de sondagens de exploração mineral, ambos focados na ampliação de recursos e extensão de corpos mineralizados existentes em Bonsucesso. A perfuração infill confirmou a continuidade do teor no setor norte do depósito. Os furos de sondagem voltaram a confirmar o potencial aberto para expansão e a perfuração exploratória continuará a se concentrar nas partes norte e central do depósito.

Recursos e reservas

Declaramos anualmente nossos recursos minerais e reservas minerais de acordo com as Normas de Definição de Recursos Minerais e Reservas Minerais (2014 CIM Definition Standards) preparadas pelo CIM (Instituto Canadense de Metalurgia e Petróleo) e incorporadas por referência no National Instrument 43-101 (NI 43-101) de todas as minas e projetos. Estas definições são consistentes com as definições de recursos minerais e reservas minerais descritas no Regulamento S-K Subparte 229.1300, nova legislação americana aplicadas aos registrantes envolvidos em operações de mineração e adotadas pela SEC (Securities and Exchange Commission), nos Estados Unidos. Essas informações estão disponíveis no Relatório Anual da Nexa 20-F, acessível pelo ir.nexaresources.com/regulatoryfilings. De acordo com NI 43-101, em 31 de dezembro de 2020, o total de metal contido em nossas reservas minerais era de 3.563 mil toneladas de zinco, 411 mil toneladas de cobre, 586 mil toneladas de chumbo, 96.691 mil onças de prata e 236 mil onças de ouro.

Recursos e Reservas5
Recursos e Reservas
Obs.: A estimativa das reservas e recursos minerais envolve premissas sobre os preços futuros das commodities e questões técnicas de mineração. A declaração apresentada de Recursos e Reservas segue os Padrões de Definição CIM 2014 (Definition Standards for Mineral Resources and Mineral Reserves) e são consistentes com as definições de recursos minerais e reservas minerais descritas na Regulação SK, Subparte 229.1300.

5Os valores apresentados neste quadro não foram ajustados para refletir nossos interesses de propriedade. A informação apresentada nesta tabela inclui 100% das estimativas de reservas e recursos minerais de nossas subsidiárias consolidadas e de nossas joint ventures, calculadas com base nos padrões de definições CIM 2014 e consistentes com as definições de recursos minerais e reservas minerais descritas na Regulação Subparte 229.1300, algumas das quais não são de propriedade total, conforme estabelecido na coluna de participação disponível no 6-k Mining Report ou no Relatório Anual da Nexa 20-F que pode ser acessado em ir.nexaresources.com/regulatoryfilings.

Projeto Aripuanã

O projeto polimetálico localizado no Estado de Mato Grosso é considerado um dos maiores de zinco em implantação no mundo. Sua mina subterrânea integrada tem produção esperada de 2,2 milhões de toneladas de minério bruto por ano (contendo zinco, chumbo e cobre) – com produção de 119 mil toneladas de zinco equivalente. A expectativa de vida útil é de pelo menos 11 anos, considerando apenas as reservas.

A ampliação da vida útil está em estudo com três sondas na extensão noroeste do corpo de Babaçu, que tem apresentado intersecções relevantes, indicando a possibilidade de ligação entre os corpos de Ambrex e Babaçu. Em 2020, houve a sondagem em 7 pontos, incluindo o brownfield de Aripuanã e alvos regionais, totalizando 4,2 quilômetros de sondagem diamantada.

A construção de Aripuanã teve início em 2019, tendo alcançado até o momento 55,3% do investimento total e 70,3% do progresso físico. Trata-se do principal projeto de zinco para os próximos anos, fundamental para a evolução da nossa estratégia de crescimento. A produção de zinco em Aripuanã, a partir de sua estabilização (2022-2023), contribuirá para uma maior integração entre minas e smelters, o que significa que poderemos reduzir nossa dependência de compra de concentrado de zinco no mercado.

Em 2020, a partir de estudos técnicos, foi estabelecido um novo patamar de Capex e cronograma, com o adiamento da conclusão da implantação para dezembro de 2021 e do início da operação para o início de 2022.

Infraestrutura pública e do projeto

Reforçando nosso compromisso com o desenvolvimento local, temos realizado uma série de ações para garantir a melhoria da infraestrutura em Aripuanã. Em parceria com a gestão pública municipal e estadual, apoiamos a reforma da ponte de madeira sobre o Rio Aripuanã, localizado na rodovia estadual MT-208. O trecho é essencial à logística local, permitindo às comunidades rurais do município acessar os assentamentos, áreas indígenas e Distritos de Conselvan, Rio Branco e Lontra, além do acesso ao projeto.

Também atuamos na readequação da Estrada Vicinal Poraquê, que liga a MT-208 às comunidades rurais da região. No total, foram revestidos 10 quilômetros da estrada, a partir de um convênio assinado entre a Nexa e a Prefeitura Municipal de Aripuanã. Com o Sindicato das Indústrias de Laminados e Compensados do Estado de Mato Grosso (SINDILAM), promovemos a manutenção e a recuperação da Estrada da Salvação, rota alternativa ao nosso projeto, que permite também o escoamento de produtos florestais, agrícolas e pecuários, cuja implantação foi necessária enquanto os serviços de reforma estavam sendo executados na ponte principal.

Avanços de 2020
Apoio para reforma da ponte sobre o Rio Aripuanã
Cooperação para readequação da Estrada Vicinal Poraquê
Ampliação das instalações da Polícia Militar
Aprovação dos projetos para reforma de três UBS
Convênio para ampliação do Aeroporto
Doação de produtos e serviços e apoio técnico para o Departamento de Águas
No início de 2021, daremos início à reforma de três Unidades Básicas de Saúde (UBS), cujas novas estruturas contribuirão para ampliar e melhorar o fluxo de atendimento em saúde, garantindo agilidade e cobertura à população, além de ações de apoio à Secretaria Municipal de Saúde no fortalecimento da Gestão do Sistema Público de Saúde, da Atenção Básica e Vigilância em Saúde e Atenção de Urgência e Emergência. Além disso, entregamos as obras de reforma e ampliação da 10ª Companhia Independente de Polícia Militar de Aripuanã (CIPM), em parceria com o Conselho Comunitário de Segurança Pública de Aripuanã (Conseg).
Em relação às obras do projeto, o principal marco de 2020 foi o equacionamento da subestação Dardanelos, que começará a fornecer energia elétrica para o empreendimento a partir de julho de 2021, possibilitando operar todos os equipamentos da mina, que já estão em fase de instalação: moinho, britador, ventilação. Avançou também a escavação das galerias e rampas e toda estrutura para o sistema de ventilação, que foi um dos pontos de gargalo do projeto de engenharia que tivemos que alterar em prazo e custo ao longo do ano.
Projeto referência em ESG
Rejeitos
Empilhamento a seco e backfill
Sistema Wetlands
100% de recirculação de água
Alto nível de automação
Segurança e eficiência operacional
Pluralidade

Legalização do garimpo
GRI MM6

A Nexa forneceu à Cooperativa de Mineradores e Garimpeiros da Região de Aripuanã (Coopemiga), anuência para outorga de uma Permissão de Lavra Garimpeira (PLG), concedida pela Agência Nacional de Mineração (ANM) e tendo como Interveniente-Anuente a Companhia Mato-grossense de Mineração (METAMAT), que permitirá que garimpeiros ligados à Cooperativa possam explorar de forma legal 516,9 hectares para extração exclusiva de ouro por dois anos e meio. Essa iniciativa ocorreu para promover a convivência harmoniosa, fundamental para a operação segura em Aripuanã e o desenvolvimento econômico da região.

Desenvolvimento local

Mesmo antes de iniciar as obras, já nos preocupávamos com o legado que deixaremos para a região. Nesse sentido, destaca-se a atuação nos seguintes projetos em 2020:

Aripuanã por Elas – Parceria com a Rede de Proteção Social e do Sistema de Garantia de Direitos de Aripuanã que visa fortalecer a atuação de rede de proteção e políticas públicas voltadas aos direitos das mulheres, principalmente, por meio de ações de promoção da igualdade de gênero e enfrentamento à violência. Estão previstas campanhas educativas e oficinas informativas, com suporte do Instituto Votorantim e Ecos – Comunicação em Sexualidade.

Programa de Desenvolvimento de Produtos Rurais – fruto da nossa parceria com o Pacto das Águas, o programa visa apoiar o desenvolvimento sustentável e integrado das cadeias produtivas do município. Em 2020, o programa esteve alguns meses suspenso devido à pandemia, mas retomou suas atividades de assistência técnica aos agricultores de forma remota.

Cidade de Aripuanã (MT)

Geração de emprego e renda – Nossa presença na região tem sido fundamental para manter o índice de empregos e geração de renda. Atualmente, quase 3 mil profissionais atuam nos canteiros de obras do Projeto Aripuanã, impulsionando também outros setores da economia local. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, Aripuanã encerrou 2020 com saldo positivo em contratações formais de trabalhadores. Os dados, mensurados de janeiro a dezembro de 2020, mostram que o município realizou 4.886 admissões durante todo ano e teve um saldo entre recrutamentos e demissões de 1.444 vagas de trabalho preenchidas.

Colaboradoras de Aripuanã (MT)
Excelência operacional TEMA MATERIAL

Em busca da melhoria contínua da competitividade para maximizar o valor das operações existentes, especialmente diante de um cenário de crise, desenvolvemos projetos voltados para a estabilidade operacional, aumento de utilização de capacidade, melhoria constante de custos, produtividade e racionalização do capital empregado. Tecnologia, automação e inovação fazem parte das ferramentas para alçarmos nossas metas de produtividade e competitividade, com alto nível de segurança e sustentabilidade (aumento da reciclagem de água, redução das emissões de CO2 e da geração de resíduos). ODS 9.4

Em 2020, nossas metas de excelência operacional fortaleceram a geração de caixa, apoiadas no programa Jeito Nexa, que promoveu ganhos de US$ 98 milhões, com base em iniciativas implementadas em 2019. Além disso, engajamos os colaboradores e criamos valor por meio do estímulo à geração de ideias, de melhorias de performance e de alocação de capital.

Mineração

As melhorias de performance das unidades de mineração foram apoiadas pelo programa Jeito Nexa, que possibilitou uma maior sinergia operacional e administrativa entre as equipes das unidades de Vazante e de Morro Agudo, assim como otimizações de custos nas unidades de Cerro Lindo e Complexo Pasco, por meio do envolvimento de várias disciplinas operacionais e corporativas, acelerando a implantação das iniciativas e trazendo novos patamares operacionais para as unidades.

Em Morro Agudo, alcançamos o recorde histórico de 1,3 milhão de toneladas vendidas de calcário. Com ações comerciais mais robustas, foi possível nos aproximar mais do mercado consumidor para oferecer um produto de melhor qualidade e logística, possibilitando maior aproveitamento das demandas do mercado agrícola. Aumentamos nossa participação neste mercado e conseguimos melhores preços pelo produto (aumento de US$ 6,3 para US$ 7,1 a tonelada), propiciando-nos uma margem superior. Dessa forma, além de não haver necessidade de disposição de rejeito de mineração na operação de Morro Agudo, conseguimos comercializar todo o material de calcário produzido e reduzimos o volume existente em nossas barragens.

Em Vazante, tivemos resultados expressivos com a otimização dos turnos de trabalho na mina subterrânea (19,4 horas de trabalho em vez das 15 horas anteriores), o que levou a um novo recorde de extração de minério (1.536 mil toneladas). Também fomos favorecidos pela melhoria da performance de recuperação metalúrgica de zinco (86,3% em 2019 para 87,5% em 2020), devido ao projeto de implantação da nova célula de flotação e da implantação do circuito de peneiras de alta frequência com ciclonagem. A nova peneira levou ao aumento da capacidade de tratamento, atingindo novo recorde de processamento de minérios da planta (1.407 mil toneladas em 2019 para 1.623 mil toneladas em 2020), sendo reconhecido também como modelo inovador pela revista Brasil Mineral.

Em Cerro Lindo, o principal projeto conduzido no ano foi a consolidação dos novos padrões e controles geotécnicos, que resultaram em otimizações no ciclo operacional na mina subterrânea e redução dos respectivos custos. Tivemos também uma frente de trabalho para incrementar a confiabilidade da planta: aumentamos a disponibilidade do circuito principal de correias transportadoras e elevamos a vida útil dos revestimentos do moinho, otimizando os ciclos de paradas programadas de manutenção. Em 2020 tivemos também a finalização do projeto de automação da dosagem de reagentes, que ajudará a unidade a manter a performance de recuperação metalúrgica mesmo com a queda nos teores de alimentação prevista para 2021.

No Complexo Pasco, os focos em 2020 foram a extensão do LoM (Life of Mine) e a manutenção da competitividade da margem operacional, com a expansão da mina de Open Pit San Gerardo, aumento da capacidade dos depósitos de rejeito e estéril e nova configuração da unidade para maximização da margem operacional. Outra iniciativa fundamental para os resultados foi a otimização das atividades de projeção de concreto nas galerias de desenvolvimento (com a redução das taxas de reflexão do concreto e melhor modelo geotécnico) e revisão e priorização dos escopos de serviços operacionais, possibilitando custos mais competitivos.

Processos de otimização da planta de El Porvenir estão em curso, com a instalação de filtros de concentrado com maior capacidade (melhorando a qualidade do concentrado) e iniciativas de automação e confiabilidade da planta. Em uma próxima etapa, procederemos a estabilização da capacidade da extração da mina de El Porvernir em 7 ktpd que será apoiado pelo projeto de expansão da capacidade do sistema de transporte vertical (Shaft – Pique Picasso) e do aprofundamento da mina.

Metalurgia

Ganho de eficiência, redução de custo e redução gradual de gargalos nas plantas constituem o foco de excelência operacional em metalurgia. Impulsionados desde o final de 2019 pelo Jeito Nexa e impelidos pela pandemia, melhoramos a performance operacional e aumentamos nossa produtividade, o que resultou em menores custos e melhoria na qualidade de nossos produtos.

Colaborador de Atacocha (Peru)
Do ponto de vista de ganho de eficiência, investimos em duas frentes: equipamentos para melhoria ou modernização dos processos de automação e otimização dos processos existentes. Várias iniciativas foram implementadas, como o incremento na eficiência das eletrólises e mudança de tecnologia da caldeira de vapor na unidade de Três Marias, reduzindo o consumo de energia e a emissão de gases de efeito estufa; flexibilização no processamento de matérias-primas em todas as operações, aumentando a competitividade na compra de concentrados e de fontes alternativas de zinco.

Foram conduzidos pequenos projetos disseminados por todas as plantas que trazem ganhos incrementais e fazem parte da rotina de otimização das operações nessas frentes, como a estabilidade operacional nas hidrometalurgias, operação adequada das ustulações, evitando emissões de gases, entre outros.

Obtivemos recorde na comercialização da escória do processo Waelz da unidade de Juiz de Fora, reduzindo a geração de resíduos e gerando mais receita.

Em Cajamarquilla, o projeto Jarosita, continua suspenso e será retomado em momento mais oportuno.